04 abr 2009

AVISO AOS NAVEGANTES: A NET NÃO PRESTA!

A atualização deste blog está prejudicada graças aos acontecimentos descritos a seguir:

Sexta-feira, 3 de abril, 23h50:
– “Net. Em que posso ajudá-lo?”
– “Minha conexão está lenta. Verifiquei por aqui e constatei que ela está com metade da velocidade que contratei. Gostaria que isso fosse corrigido, por favor.
– “Hmmm… estou vendo aqui que seu modem está ligado há três dias.”
– “Sim. E daí?”
– “E daí que é muito tempo com o modem ligado. De vez em quando é bom desligar e ligar para ele dar uma renovada na velocidade, sabe?”
– “Peraí. Você tá me dizendo que, para ter internet na minha casa, pela velocidade que contratei, terei de, quase diariamente, ligar e desligar um modem embaixo da minha mesa e que, na teoria, não deveria nem ser tocado por mim?”
– “Errr…”
– “Mas isso é um absurdo!”
– “Errr…”

Sábado, 4 de abril, 0h01:
– “Net. Em que posso ajudá-lo?”
– “Acabei de falar com um atendente de vocês que me deu uma resposta absurda sobre como reparar a velocidade que contratei para a minha internet. Ainda assim, fiz o que ele sugeriu: desliguei e liguei o modem. Agora, estou sem nenhuma velocidade porque não há internet aqui.”
– “Senhor, estou vendo aqui que existe um problema na sua região. O prazo é de 12 horas. Ou seja, meio-dia deste sábado.”

Sábado, 4 de abril, 12h06:
– “Net. Em que posso ajudá-lo?”
– “Estou sem internet desde ontem, quando reclamei que a velocidade da minha conexão estava em metade da que contratei.”
– “Senhor, o prazo é 12h de hoje.”
– “São 12h06.”
– “Ahhh… um instante, por favor.”
(musiquinha)
– “Senhor, falei com meu supervisor e ele disse que tudo será resolvido em 30 minutos.”
– “Mais 30 minutos?”
– “É que houve um atraso, Senhor…”
– “Não me diga!”

Sábado, 4 de abril, 12h46:
– “Net. Em que posso ajudá-lo?”
– “Estou sem internet desde ontem, quando fui reclamar que a velocidade da minha conexão estava em metade da que contratei. Me deram uma sugestão absurda, fiquei sem sinal e, depois de dois prazos furados (12h e 12h30), nada aconteceu.”
– “Faça o seguinte, Senhor…”
– “Sim…”
– “Clique em ‘Iniciar’…”
– “Sim…”
– “Depois clique em ‘Todos os Programas’…”
– “Sim…”
– “Agora vá até ‘Acessórios’…”
– “Sim…”
– “Entre em ‘Prompt de Comando’…”
– “Sim…”
– “E digite…”
– “Sim…”
(sinal de ocupado)
– “Nãããããooooo…”

Sábado, 4 de abril, 13h:
– “Net. Em que posso ajudá-lo?”
(contei toda a história)
– “Senhor, não há previsão.”
– “Por lei, você tem de me dar uma previsão.”
– “Mas eu não tenho, Senhor.”
– “Entao chame alguém que tenha.”
– “Mas o supervisor não está e… e…”
– “Qual o seu nome?”
– “Luciene, Senhor.”
– “Olha só, Luciene. Eu sei que você não tem culpa por nada disso. Sei que você segue um script que está na sua frente. E sei também que você é orientada a não chamar seu supervisor a menos que eu diga a palavra ‘Procon’. Então, Luciene, chame seu supervisor antes que eu queira acionar a Net no… Procon?”
– “Um instante, Senhor.”
(musiquinha)
– “Net. Supervisor Flávio. Em que posso ajudá-lo, Senhor?”
(contei, de novo, toda a história)
– “Eu não tenho essa previsão, Senhor.”
– “E quem tem?”
– “Nosso departamento de reparos externos.”
– “Pode me transferir para lá, por favor?”
– “Não estou autorizado, Senhor.”
– “E quem autoriza?”
– “Não estou autorizado, Senhor.”
– “Voce está ciente que essas ligações são gravadas e posso processá-los?”
– “Faça o que quiser, Senhor.”

E aí? Algum advogado a fim de dar um “Skavurska” na Net? Mas só pode ser advogado brasileiro, viu? Questão de experiência. Afinal, lá fora, em lugares como a Sibéria por exemplo, esse tipo de coisa não acontece.

comentários
comentários