11 jun 2007

KIBE RESPONDE

A partir de hoje a seção “Kibe Responde” será mais presente por aqui. É uma maneira de incrementar o conteúdo do site com os e-mails peculiares que recebo (não são poucos) e retribuir o expressivo retorno dos leitores bem-humorados do Kibe Loco.

Para iniciar essa nova fase, nada melhor que uma exceção que comprova a regra…

***

De: bernardo.pombo@oglobo.com.br
Para: kibeloco@kibeloco.com.br
Data: 07/06/2007 – 20h52
Assunto: Fluminense campeão

Que lixo esse post se referindo ao título do Fluminense. Foi uma baita babaquice. Isso não é humor, é falta do que falar.

Garanto que poucos pensam assim. Muitos gostariam de estar na pele do Fluminense hoje. Aqui no Rio, bebemos e festejamos o dia inteiro, aproveitamos a mulherada enquanto vocês perderam o tempo pensando num comentário merda como esse.

Engulam o que falaram………

***

Resposta:

Prezado Bernardo Pombo,

Antes de qualquer coisa, muitíssimo obrigado pelo e-mail.

Acredito que sua mensagem se refira ao post intitulado “NOTÍCIAS QUE VÃO MUDAR O MUNDO (PARTE 181)”, no qual fiz o seguinte comentário sobre a conquista da Copa do Brasil pelo Fluminense:

“Parabéns ao tricolor carioca! Agora pode encher o peito e gritar, com muito orgulho, que assim como o Criciúma, o Paulista de Jundiaí e o Santo André, também tem um título da Copa do Brasil.”

Confesso que sua crítica (ou mais que isso) me surpreendeu e, sobretudo, decepcionou. Os motivos eu enumero a seguir:

1 – Você me escreveu do seu e-mail de trabalho (bernardo.pombo@oglobo.com.br) em plena noite do feriado de Corpus Christi. Lamento profundamente que esteja tão ocupado até tão tarde. Visitar o Kibe Loco e se dar o trabalho de me escrever certamente foi um golpe duríssimo para quem está no meio de um plantão de feriadão. Ainda mais depois de “beber e festejar o dia inteiro”.

2 – Percebi que somos praticamente colegas. Isso mesmo! Você trabalha no jornal O Globo (Extra) e eu trabalho na Rede Globo. Ambos com canais de comunicação na Globo.com. Uma pesquisa superficial e rápida pelo Google pôde confirmar isso. Fiquei chateado apenas por você não ter se dado o trabalho de fazer o mesmo comigo. Afinal, em seu e-mail, você me trata no plural e ainda dá a entender que não sou do Rio de Janeiro. Um jornalista iniciante qualquer (não é o seu caso, claro) teria apurado que faço o Kibe Loco sozinho e que também moro na Cidade Maravilhosa. Aliás, escrevi isso poucas linhas abaixo do post que tanto o incomodou.

3 – Minha pesquisa superficial revelou que no jornal O Globo você trabalha na editoria de esportes cobrindo (veja só!)… o Fluminense!!! Bem, talvez por isso você tenha ficado tão injuriado com um post cuja ironia depende exclusivamente de quem lê. Mas ratifico: jamais pensei em diminuir seu trabalho, cuja dedicação talvez explique a identificação com o clube. E bota identificação nisso! Pude averiguar em seu perfil no Orkut que além de ostentar com orgulho um escudo do tricolor carioca em sua seção de fotos, você também faz parte da comunidade “Fanáticos pelo Fluminense”. Sem problemas. A participação pode ser boa fonte de lazer e até instrumento de pesquisa. Sou daqueles que acredita que até os jornalistas esportivos têm direito a torcer por um clube. O problema é que há os que não pensam assim e poderiam duvidar de sua imparcialidade, equilíbrio e bom senso (que pelo que vi até aqui, você tem de sobra).

4 – Tomara que os torcedores do Criciúma, do Paulista de Jundiaí e do Santo André não fiquem chateados com você. Afinal, sua ira depois de um chiste tão inocente como o meu (me permita a ironia da ironia) deixa subentendido que seria uma verdadeira heresia comparar o seu Fluminense a um daqueles clubes que, na minha modesta opinião, também merecem respeito. Todos sabem da grandeza, da tradição e da importância do clube das Laranjeiras, mas já imaginou se esses torcedores começassem a te escrever dizendo que você só comemorou tanto porque seu time estava há 23 anos (sua idade, né Bernardo?) sem comemorar um título nacional? E se escrevessem dizendo que o Fluminense não tem 30 títulos estaduais, mas sim 29, já que o campeonato de 2002, segundo o site oficial da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, ainda está sub judice? Ou pior… e se te escrevessem dizendo que o Fluminense só está na primeira divisão porque entrou pela porta dos fundos e nem chegou a passar pela segunda divisão depois que saiu da terceirona? Você ficaria ainda mais contrariado. Acredite.

5 – Espero que sua namorada não tenha ficado chateada com o fato de você ter “aproveitado a mulherada” (sic) durante a comemoração pelo título do Fluminense. E se ficou, ela vai superar. Homem solteiro no Rio de Janeiro é que nem pombo: dá em tudo que é canto.

Enfim, Bernardo, tomarei mais cuidado com meus “comentários merdas” daqui para frente. Assim não corro o risco de cometer uma “babaquice” e ter de “engolir” tudo depois. Sabe como é, né? Em um mercado de trabalho tão concorrido (e injusto) como o nosso – com tantos bons jornalistas desempregados por aí – não posso dar mole.

Saudações tricolores (ou rubro-negras, cruzmaltinas, alvinegras… escolha. Aqui não me faz a menor diferença),

Antonio Tabet.

***

Agora voltamos com a nossa programação normal.

comentários
comentários