28 jun 2007

CULPA NO CARTÓRIO

André, angustiado, abriu o coração para sua amiga, Luciana. Ele não suportava mais os rolos dos processos de execução. E para piorar, Cida não queria ajudá-lo.

Luciana riu. Ela já tinha dado uma chance para André cair fora de lá, mas ele não quis. André estava há muito tempo naquele cartório e acreditava que as coisas mudariam por lá.

Luciana, menos conformada, sugeriu a André que falasse com o Dr. Jeová antes que as coisas esfriassem. Afinal, o “rei da cocada preta” ainda estava chateado com a Cida. O momento seria ideal para André tentar ocupar o cargo dela.

André se encheu de confiança. Iria pleitear a promoção. E mais: estava certo que o cartório sem a Cida, sem a Zélia, sem o Adair, sem a Marta e até mesmo sem o Dr. Jeová, poderia flutuar. Seria mais fácil “domar burros novos”. O único problema era o Bispo.

Com a aposentadoria do Dr. Jeová, Bispo ficaria no comando e ele apoiaria a Cida. Por isso, era preciso tirar Cida do caminho o quanto antes.

Luciana desejou boa sorte ao amigo, mas deixou as portas novamente abertas para o caso de algo não sair como o esperado.

André se despediu apressadamente. Cida tinha acabado de chegar.

***

E agora? O que vai acontecer? Será que André falou com o Dr. Jeová? E os conselhos de Luciana? Surtiram efeito?

Bem… se você não conhece o André e nem a Luciana, não desanime. Eu também não os conheço. Mas uma coisa é certa: alguém publicou sem querer (ou não) o histórico da conversa dos dois no MSN nas páginas do Diário Oficial do Estado de São Paulo (abaixo). Para comprovar, basta acessar a página do D.O. (www.diariooficial.sp.gov.br) e, na coluna da esquerda, selecionar o caderno “Judiciário II” e o dia “25/06/2007”. Na página que abrir, do Adobe Reader, vá para a página 150. A conversa começa no fim da segunda coluna e continua na terceira.

E a Cida que se cuide.

comentários
27 jun 2007

DÉJÀ VU

Tenha medo. Muito medo.

comentários
27 jun 2007

UMA CHANCE (PARTE 2)

Cartola do Palmeiras revela suposto jogador gay

Durante a transmissão ao vivo do programa “Debate Bola”, o apresentador Milton Neves perguntou ao diretor do Palmeiras, José Cyrillo Júnior, se seria do clube alviverde “o jogador que vai assumir na televisão que é homossexual”. Cyrillo respondeu: “Não, o Richarlyson quase foi do Palmeiras. O procurador dele assinou um pré-contrato com o Palmeiras, mas no dia seguinte ele foi para o São Paulo”. “Você chutou o balde”, disse Milton Neves, não contendo o riso (video abaixo).

Dirigentes do São Paulo estudam a hipótese de processar Cyrillo.

[youtube lwogQ3G4Hhs]

***

Como diria um amigo meu, “sabe porque esteve lá”!

comentários
27 jun 2007

“METE LÁ DENTRO, MARCINHO!”

Cruzeiro e Atlético se enfrentam pelo campeonato brasileiro em um Mineirão lotado. O primeiro tempo termina 2 a 0 para o Cruzeiro.

O Galo não se abate e volta para a segunda etapa disposto a reagir com rapidez. E consegue.

Em apenas 17 minutos, os atleticanos empatam o clássico.

Então, aos 27 do segundo tempo, o que parecia impossível acontece: pênalti para o Atlético.

A expectativa da torcida alvinegra pela virada histórica contrasta com o silêncio azul das arquibancadas.

O atacante Marcinho corre para a bola e…

[youtube ROC-44-yqqc]

… e aí que foi 4 a 2 para o Cruzeiro mesmo.

comentários
27 jun 2007

“KAJURU COM GRIFE”

Vão até o Google e procurem por “Milton Neves”. Vocês também acharam isso???


Isso deve ser coisa do Juca Kfouri

comentários
27 jun 2007

CADEIA GENÉTICA

“Essas crianças não são bandidas”, diz pai de um dos acusados de agredir doméstica

O empresário Ludovico Ramalho Bruno, 47 anos, pai de Rubens Arruda Bruno, 19, um dos acusados de agredir a doméstica Sirley Dias de Carvalho Pinto, disse que é desnecessário manter os jovens presos. “Essas crianças não são bandidas. Existem crimes piores. Eles fizeram uma bobagem e terão que pagar por isso. Queria dizer à sociedade que nós, pais, não temos culpa. Mas não é justo manter presas crianças que estão na faculdade, têm família, estão estudando, trabalham. Não concordo com a prisão na Polinter, ao lado de bandidos”.

Ao tentar explicar a quantidade de hematomas que a vítima carrega no corpo, o pai de Rubens disse que “Sirley é mais frágil por ser mulher, por isso fica roxa com apenas uma encostada”. Ao contrário do homem que, segundo ele, é mais resistente.

Sirley teve a bolsa roubada e o rosto fraturado depois de levar chutes de jovens moradores de condomínios da Barra da Tijuca que a confundiram com uma prostituta. Segundo Sirley, durante o reconhecimento dos acusados, um deles riu e debochou da doméstica.

***

Concordo com o Psycho (e com o Sr. Ludovico). “Playboyzinhos” da Barra que roubam e agridem domésticas (ou prostitutas) não deveriam mesmo ser presos com bandidos.

Deveriam ser presos com os pais.

comentários